R. Bandeira Paulista, 530 - Itaim Bibi - São Paulo-SP

(11) 5180-5260

Notícias e Informativos

Como a regulamentação dos Parques Eólicos em alto mar pode ajudar o valuation das empresas


Como a regulamentação dos Parques Eólicos em alto mar pode ajudar o valuation das empresas

Por Diana Braga Nascimento Toscani

 

Comenta-se frequentemente sobre o aquecimento global, especialmente sobre a emissão de carbono. Inúmeras empresas possuem metas para serem carbono neutro e, possivelmente, entrar para o potencial mercado de carbono. Há, também, outras oportunidades e vantagens que podem ter impacto positivo no valuation das empresas.

 

Em 25 janeiro de 2022, foi publicado o Decreto nº 10.946 que regulamenta a cessão de uso e aproveitamento de recursos naturais da União, na costa brasileira através de parques eólicos. A publicação do decreto é extremamente relevante no Brasil, uma vez que regulamenta a atividade eólica offshore. Como o território nacional tem características naturais extremamente benéficas para esse empreendimento, o Decreto faz se essencial para estimular a energia sustentável.

 

A energia eólica pode ser utilizada para geração de energia para outras matrizes energéticas, como o hidrogênio. Mas, o que isso afeta o valuation da empresa?

 

O hidrogênio é um elemento químico abundante em nosso planeta. Esse elemento químico é um excelente substituto para o combustível fóssil, uma vez que pode ser utilizado nas mais diversas indústrias. Para o hidrogênio ser considerado verde, ou seja, sustentável, ele deve ser obtido por matriz energética limpa como a eólica ou solar.

 

De antemão, já se nota como isso afetará a imagem da empresa, demonstrando preocupação com o meio ambiente e com as futuras gerações. A segunda razão é a utilização de fontes totalmente verdes, que além de serem renováveis são sustentáveis, não tendo impacto ambiental.

 

Assim, quando se consegue ter fontes sustentáveis na cadeia de produção energética, é algo que, certamente, refletirá no valor da empresa e na imagem perante os stakeholders.

 

Com a publicação do Decreto 10.946, boa parte da costa brasileira poderá ser utilizada para exploração de energia eólica, a qual, por sua vez, poderá ser a matriz energética para a produção de hidrogênio e, consequentemente, fornecer energia limpa e sustentável para as empresas. 

 

Essa questão, que não está tão em evidência, pode ser a protagonista da história.

 

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
Criação de Sites MGF Arte